sábado, 26 de setembro de 2015

Cansei de insistir em histórias tortas, em tormentos que só machucam a alma e em amor não recíproco, prefiro me abster de problemas e esperar a vida com toda chama, força, criatividade e leveza me convidar para dançar. Estou farto de maus bocados e já não tenho tempo para gerenciar o que não me trará sorrisos. Eu sou da paz e é nela que eu quero mergulhar inteiramente. 
Infinitamente, preservarei minha identidade e ficará comigo somente quem aceita minha verdade, minhas virtudes e fragilidades. Ninguém é obrigado a conviver com dúvidas, eu quero a felicidade como certeza absoluta do meu coração.

[ E que seja eu agora, mais do que o motivo, a emoção de ser verdadeiramente todos os anseios e profundidade do meu ser ].

( Vitor Ávila )

Não há ciência ou teoria que explique certos sentimentos, como: amor, união, amizade pura, forte e verdadeira, apenas sentimos. Não importa o quando estamos perto ou longe, o que importa é a presença sendo notada e mostrarmos que queremos sempre o melhor para o outro - mesmo que tudo aponte para que os elos se quebrem, por culpa das adversidades que a vida impõe. Insistimos e persistimos, nunca abandonamos, poderemos até xingar, dar uma "sacudida" no outro e relacionar com a realidade, mas jamais para romper laços ou aniquilar os sonhos alheios e sim para que outro acorde para a vida. Provar que estamos juntos para o que der e vier. E assim, com o passar do tempo, criam-se laços ainda mais fortes, praticamente inquebráveis. A afinidade será tanta, que acabaremos por completarmos pensamentos um do outro e, bastará nos olharmos sem ao menos dizermos palavra alguma e nos comunicarmos, como por telepatia. E pensaremos como um só.
Cada ser é único - verdade -, mas não são inteiros e só serão através dos sentimentos de união (amor e amizade), que completarão a sua essência fazendo transbordar toda a beleza que existe no interior.
Peter Pires

O UNIVERSO NUM OLHAR


De todas as partes do corpo do ser humano que pude apreciar até os dias de hoje, os olhos sem dúvida foram sempre os que mais me fascinaram...
Neles conheci o amor incondicional pelos filhos...
Neles perdi e encontrei caminhos...
Neles vi a dor da despedida e recomeços... 
Neles vi as simples alegrias...
E neles também infelizmente, já vi muita maldade e falsidade.
Mas num olhar conheci algo que talvez nunca saiba definir...
...e esta indefinição...encheu o meu universo ...levou-me a mais pura reflexão e ao caminho do autoconhecimento...
Uma estrada dolorosa e difícil...mas que talvez, se faça necessária...
A vida mostra-nos o que parece um acaso... para quem sabe , motivar a nossa essência!
Dinâmica pesada... que por vezes confunde a fundo nossa alma..
Mas acredito que mais a frente, haverá de tornar-nos numa fortaleza!"

( Marta Carvalho )


Dou preferência a quem me enxerga com calma e traz leveza para minh'alma. Sou exclusivo de quem plantou em mim a semente da gratidão e me faz transbordar amor sem reservas.
( Vitor Ávila )
 


E quando no meu caminho os desvios são maiores do que os acertos a minha prece é que seja restabelecida a minha fé, para que meus planos não sejam frustados e que meu valor não seja perdido.
Prefiro sempre acreditar que tudo no final vai dar certo -, porque é bem mais reconfortante acreditar. Seguir às vezes já é tão árduo que chorar nem sempre limpa os pesos, recomeçar é a única saída.
Nunca sabemos quanto tempo temos, mas deixar o coração falar é sempre melhor do que a razão, porque agir com emoção não é pecado é ser sensível, é ser humano, é ser consciente que a divindade que há no céu também habita em nós.
( Vitor Ávila )

MINHA VIDA

Muito embora os últimos tempos não tenham sido dos mais fáceis, consegui encontrar neste mundo repleto de angústia, tristeza e decepções, pessoas que humildemente fazem minha alma sorrir e o céu se abrir - como se me dissesse que eu sou sagrado e que meus planos serão abençoados.
Pessoas estas - das quais considero: anjos amigos - saúdam meu dia com o brilho do olhar e suas almas parecem abraçar tão facilmente a minha. Sinto que o dia nascerá feliz todas às vezes que eu na minha pequenez, conseguir ser o motivo da felicidade de alguém.
A vida por vezes é tão graciosa que já amanheço sorrindo e, sabendo que sou amado por quem me olhou com calma e viu em mim um pouco daquela esperança que eu havia esquecido. Percebo que o amor é a cura e o universo parece me transbordar quando estou repleto dessa paz e sintonia.
As palavras, em sua grandeza e majestade, jamais saberiam traduzir o calor que faz no meu peito e a empolgação que corre em minhas veias enquanto vejo-me especial para alguém; apesar das minhas falhas e limitações.
Se alguém perguntar-me se eu reconheço o amor, logo alguns nomes me virão à cabeça e, sem precisar que minha voz diga, meu sorriso tão cheio de ternura, expressará quão valiosa é a eternidade que plantaram em mim. E logo eu, que era semente e sem tantas pretensões de vida, mostrarei o florescer por completo -, a renovação do espírito e a luz compartilhada, que será multiplicação. Sigo assim, com o coração agradecido e a serenidade sendo companhia.
( Vitor Ávila )

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

OUTONOS E PRIMAVERAS

Pe. Fábio de Melo**
Outonos e Primaveras
Primavera é tempo de ressurreição. A vida cumpre o ofício de florescer ao seu tempo. O que hoje está revestido de cores precisou passar pelo silêncio das sombras. A vida não é por acaso. Ela é fruto do processo que a encaminha sem pressa e sem atropelos a um destino que não finda, porque é ciclo que a faz continuar em insondáveis movimentos de vida e morte. O florido sobre a terra não é acontecimento sem precedências. Antes da flor, a morte da semente, o suspiro dissonante de quem se desprende do que é para ser revestido de outras grandezas. O que hoje vejo e reconheço belo é apenas uma parte do processo. O que eu não pude ver é o que sustenta a beleza.
A arte de morrer em silêncio é atributo que pertence às sementes. A dureza do chão não permite que os nossos olhos alcancem o acontecimento. Antes de ser flor, a primavera é chão escuro de sombras, vida se entregando ao dialético movimento de uma morte anunciada, cumprida em partes.
A primavera só pode ser o que é porque o outono lhe embalou em seus braços. Outono é o tempo em que as sementes deitam sobre a terra seus destinos de fecundidade. É o tempo em que à morte se entregam
, esperançosas de ressurreição. Outono é a maternidade das floradas, dos cantos das cigarras e dos assovios dos ventos. Outono é a preparação das aquarelas, dos trabalhos silenciosos que não causam alardes, mas que mais tarde serão fundamentais para o sustento da beleza que há de vir.
São as estações do tempo. São as estações da vida.
Há em nossos dias uma infinidade de cenas que podemos reconhecer a partir da mística dos outonos e das primaveras. Também nós cumprimos em nossa carne humana os mesmos destinos. Destino de morrer em pequenas partes, mediante sacrifícios que nos faz abraçar o silêncio das sombras…
Destino de florescer costurados em cores, alçados por alegrias que nos caem do céu, quando menos esperadas, anunciando que depois de outonos, a vida sempre nos reserva primaveras…
Floresçamos.

É, eu tive que cair na real. Por mais que eu quisesse viver todos aqueles sonhos malucos ao teu lado, eu tive que cair na real. Mesmo sem e...